10/08/2017

Jair Bolsonaro, a fina flor do populismo! (3)

        Há um consenso nas universidades dos EUA em enxergar o populismo nos dias atuais como uma ideologia rasa que vê a sociedade dividida em dois grandes grupos homogêneos e antagônicos – de um lado está o povo simples e de outro as elites corruptas!

        A definição casa como uma luva com o jeito de agir e discursar do pré-candidato a presidente da República, o deputado do PSC – Partido Social Cristão, Jair Messias Bolsonaro, talvez o político mais populista entre os que já aquecem baterias para o pleito de 2018.

        Capitão da reserva do 8º Grupo de Artilharia de Campanha Paraquedista do Exército, 60 anos de idade, Messias Bolsonaro pode ser definido assim: um político que faz voos rasantes sobre quase todos os temas da realidade brasileira, não se aprofunda em nada e vê o país dividido em dois grandes grupos - a esquerda corrupta do PT e as pessoas de bem que querem produzir e viver em segurança.

        Melhor prestarmos muita atenção nele, desde já! Não dá ponto sem nó e não prega prego sem estopa. Sua plataforma está disponível nas redes sociais e quem não tiver senso crítico aguçado vai-se deixar encantar e até contribuir para levar o país em 2018 a mais uma aventura do tipo Collor de Mello.

        Adora assunto polêmico (homofobia, homossexualismo, armamento dos civis) porque sabe que ao abordá-lo terá mídia gratuita; adora exaltar as Forças Armadas porque sabe que tem crescido a adesão à intervenção militar; adora atacar os programas insuflados pelo PT (cotas raciais, Bolsa Família, demarcação das terras indígenas, etc) porque sabe que assim pode arrebanhar eleitores descontentes com a baderna instaurada pelos governos petistas.

        Seus radares capturam sinal de polêmica em torno de algum assunto ? Então, entrará nele chutando com os dois pés, sem se importar com a  profundidade... Tem alguns poucos méritos e grandiosos deméritos!

        Na contabilidade dos poucos méritos está a denúncia, que ele repete com insistência, de que a esquerda usava os mesmos métodos da Ditadura Militar: matava após julgamentos sumários e sem nenhum direito à defesa! Chamavam esses assassinatos de “justiçamentos”! Uma verdade que ninguém, a não ser ele, tem coragem de denunciar. E denuncia, como já admitiu Fernando Gabeira, ex-militante da luta armada, que a esquerda quis tomar o poder a força para instalar uma outra ditadura, a do proletariado...

        Na conta dos grandes deméritos está a defesa da tortura e o combate sistemático ao que ele chama de “defensores dos direitos humanos”. Quer mídia, mídia e mídia, nem para pra pensar que “Direitos Humanos” não é uma agenda exclusiva dos partidos de esquerda!

        Messias Bolsonaro, um homem que quer ser presidente da República, parece ignorar que o acesso à Educação, à saúde pública, a pelo menos três refeições por dia, à moradia, à água potável, ao saneamento básico, à defesa, a lazer, são direitos humanos que devem ser defendidos por todos os cidadãos, seja lá qual for o partido, a ideologia, a crença religiosa...

        Demagogo, apanha os temas mais complexos e simplifica tudo, cinicamente... Numa longa entrevista ao jornalista Guto Brandão, levada ao ar pela TV Tambaú, da Paraíba, e também disponível na internet, Messias Bolsonaro fala de tudo e conclui com suas três grandes propostas para governar o Brasil: resolver os problemas de segurança, freando a política de direitos humanos; incentivar o comércio multilateral eliminando o Mercosul e  incrementar o turismo garantindo a segurança do turista em todas as regiões do país!

        Típico discurso raso, populista!

        As grandes cidades colombianas – Bogotá, Cali, Medellín - já foram consideradas as mais violentas do mundo nas primeiras décadas do Novo Milênio e em dez anos de aplicação, pelo governo federal, de um programa de alta complexidade, que implicou até em anistia para jovens criminosos, viraram o jogo e passaram a figurar no rol das cidades mais seguras do mundo!

        Para fazer melhor que isso, Messias Bolsonaro já tem no bolso do colete quatro medidas bem mais simples: aliviar a punição a policiais que cometerem abusos; reverter a lei do desarmamento, permitindo que todo o cidadão possua uma arma de fogo; combater “a defesa dos direitos humanos” e manter os criminosos na cadeia, acabando com o regime de progressão de pena!
  
        Dá é pena de quem acredita nessas coisas!

        E assim, ligeiro ligeirinho, ele vai na direção do trono!

NIÓBIO, GRAFENO

        Quem vê os planos de Messias Bolsonaro para o aproveitamento das riquezas de subsolo, sente vontade de chorar! É tudo lindo maravilhoso: só a exploração racional do nióbio (o Brasil lidera com folga o ranking de países com jazidas conhecidas do minério) e do grafeno tiraria o país da miséria e permitiria que ele tomasse, com firmeza, o rumo do desenvolvimento sustentável.

        Quem, entretanto, prestar mais atenção ao que ele diz e propõe vai perceber que tudo não passa de demagogia, capciosidade e mistificação!

        É justamente na mineração que se manifesta a face mais sinistra, selvagem e poderosa do capitalismo brasileiro. Sua ideia de exportar sempre com alto valor agregado não é nova; surgiu há muitas décadas atrás, mas até agora ninguém conseguiu mudanças significativas e continuamos como exportadores de alta tonelagem, sobretudo de ferro, sem qualquer processamento.

        O presidente que ousar mexer na mineração pra valer cairá em menos de um ano e vai-lhe restar, fora do cargo, denunciar as “forças ocultas” que o derrubaram, como fez Jânio Quadros de triste memória!

        Gerações inteiras de operários das minas de carvão em Santa Catarina morreram de pneumoconiose porque os mineradores, ao importar as máquinas para automação da extração, “esqueceram” os aspersores e umidificadores que combateriam o pó nas galerias das minas; agora mesmo, em Paracatu (MG), centenas de pessoas morrem de câncer transmitido pela insalubridade das minas para extração de ouro que segue para o Canadá.

        O desastre de Mariana (MG) é uma demonstração de toda a perversidade da mineração brasileira e, curiosamente, não se ouviu do deputado Messias Bolsonaro um só protesto contra a série de desmandos verificados; nem dele, nem de seus pares na Câmara Federal em grande número na gaveta da Vale do Rio Doce, corresponsável por essa que foi a maior tragédia ambiental da história do Brasil.

        Há pouquíssimos dias, a Justiça anulou a sentença que punia os vários responsáveis pela tragédia de Mariana e não se ouviu uma só voz de protesto no Congresso brasileiro.

        Há pouco tempo, Messias Bolsonaro assumiu a tribuna da Câmara para denunciar a venda aos chineses de jazidas de nióbio em Goiás (apenas 3% das jazidas brasileiras). Conseguiu reverter a operação? Não! Ele continuará a ser uma voz solitária, por sua incapacidade de articulação e sua compulsão em dar a tudo que faz e fala um tom midiático - cacarejo  de ave que se prepara para alçar o maior voo de sua carreira política...

        Se ele quisesse de fato fazer algo em prol da racionalidade na exploração mineral no Brasil, teria gritado, esperneado, para mobilizar seus pares no Congresso e aprovar um novo e decente Marco Regulatório do setorl...

NO VALE DO RIBEIRA

        Por que será que Messias Bolsonaro escolheu o Vale do Ribeira, a região mais pobre do estado mais rico da Federação (SP), para apresentar a sua proposta para a exploração do grafeno? Tenho minhas suspeitas: ele quis na verdade matar vários coelhos com uma só cajadada! É muito esperto !


        O Vale do Ribeira, em primeiro lugar, é emblemático para representar o fracasso das esquerdas que ele tanto combate: por ser uma região pobre, foi escolhida pelo líder guerrilheiro, o capitão Carlos Lamarca, para implantar um primeiro foco de guerrilha, dizimado pela Ditadura Militar. Bolsonaro exalta os militares, exalta a tortura, condena o “justiçamento” de pessoas pela esquerda e a guerrilha de Lamarca foi uma síntese de todas essas iniquidades - de um lado e de outro!

        Todos os estados brasileiros, segundo os organismos de mineração, possuem jazidas de grafite, portador natural do grafeno, mas a jazida do Vale do Ribeira, até agora não dimensionada, é a única localizada em área indígena, um prato cheio para o candidato açular as suas várias “teorias demoníacas” contra as bandeiras do PT:

        - Esta reserva aqui - do Vale do Ribeira - foi criada pela Funai há pouco tempo para cerca de 70 índios, alguns inclusive trazidos do Paraguai!

        - Dentro de praticamente todas as reservas indígenas brasileiras há jazidas  importantes de minérios, alguns preciosos como o nióbio e o grafite!

        - A reserva Ianomâmi e a reserva Raposa Terra do Sol serão destinadas à formação de nações independentes no futuro!

        Ele não diz que os índios de Roraima, da Raposa Terra do Sol, contrabandeiam nióbio através de ONGs internacionais, mas coloca nos vídeos de campanha várias pessoas “denunciando isso”... O negócio de Messias Bolsonaro é bem esse: deixar que os mitos se espalhem e se agigantem, pois o eleitor enxergará nele o único candidato capaz de “destruí-los”... Por que ele não assume essa bobagem?

        Porque sabe que é bobagem: a incidência de nióbio sobre cada metro cúbico minerado é tão pequena que as “ONGs Internacionais” teriam de instalar um canteiro de mineração gigantesco na reserva indígena, algo que poderia ser identificado facilmente por satélite!

        OBS – Quem tiver interesse em conhecer mais sobre o nióbio e toda a polêmica que ele desperta entre aqui: http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2013/04/monopolio-brasileiro-do-niobio-gera-cobica-mundial-controversia-e-mitos.html

Bolsonaro discursa na Câmara




 Extração de nióbio em andamento nos arredores de Araxá, cidade situada no sul de Minas

Reservas indígenas dos Ianomâmis

Reservas indígenas Raposa Terra do Sol


01/08/2017

Uma bomba na Adutora do Guandu. É Jair Bolsonaro em ação! (2)

        Das novas gerações, poucas pessoas sabem que o deputado Jair “Messias” Bolsonaro, do PSC, já foi protagonista de um “Caso Para-Sar” às avessas! Digo às avessas porque no legítimo Caso Para-Sar, ocorrido em 1968, o herói foi um paraquedista de elite das Forças Armadas, o capitão Sérgio Ribeiro Miranda de Carvalho, e o vilão foi o brigadeiro João Paulo Burnier; e nesse caso invertido, acontecido em 1986, o vilão foi um paraquedista (Jair Messias Bolsonaro) e o herói, ou melhor, a heroína, foi a jornalista Cássia Maria, de Veja...

        Heróis, nos dois casos, foram pessoas que tiveram a decência e a coragem de delatar os planos, diabólicos e sinistros, antes que fossem executados...

        Para entender o “Caso Para-Sar”, é preciso voltar no tempo algumas décadas. Instaurada em 1964, a Ditadura Militar já era confrontada, menos de quatro anos depois, por uma série de movimentos, entre os quais a Frente Ampla, liderada pelo ex-governador do Rio, Carlos Lacerda, e pela grande capacidade mobilizadora da UNE- União Nacional dos Estudantes, que já em julho de 1968 conseguira organizar a famosa Passeata dos 100 Mil, no Rio de Janeiro.

        Nas casernas, as manifestações e os protestos despertaram a ira da direita radical, pequena, mas ativa...

        Eis que surge um brigadeiro – uma das mais altas patentes da Aeronáutica – com um plano para levar o regime a um endurecimento total e assim conter o avanço da “subversão”.

        O plano tinha duas fases, uma primeira consistiria na explosão de várias bombas em pontos estratégicos (gasômetro, vias públicas, ajuntamento de pessoas, pois a lógica era “quanto mais gente morrer, melhor”)!

        Na segunda fase, seriam eliminados (isso mesmo, assassinados!) políticos influentes como Carlos Lacerda, Juscelino Kubitschek, Jânio Quadros... Havia uma lista de 40 políticos! O objetivo era um só: produzir pânico e consternação para justificar um truculento fechamento do regime.

        E todos os atentados seriam atribuídos aos “comunistas”!

        O plano era a sério, mas o que o seu autor, o brigadeiro João Paulo Burnier, já envolvido em casos anteriores de suprema insubordinação, não levou em conta é que no comando do Para-Sar – tropa de elite, à qual fora reservada a missão de executar o plano – havia um homem sensato e corajoso, Sérgio Ribeiro Miranda de Carvalho, que não permitiu que seus homens operassem aquela insanidade!

        O tempo demonstrou que o brigadeiro Burnier, além de insano, não era nada inteligente. Dali a poucos meses, ainda no governo claudicante do General Costa e Silva, é instaurado o Ato Institucional de número 5 (o famoso AI-5) e faz o país mergulhar no que é chamado de Anos de Chumbo, criando, sem apertar o gatilho uma só vez, o clima que Burnier tentava produzir com bombas e assassinatos...

MALUQUICE EM DOSE MENOR

        Vamos chamar o episódio no qual se envolveu Jair “Messias” Bolsonaro de “Parasarzinho”, vai!

        Os tempos eram bem outros! Tancredo Neves já estava morto e seu vice, o maranhense José Sarney, ocupava a Presidência da República na condição de primeiro Civil a governar o País depois da série de governos militares...

        E o Ministro do Exército do governo Sarney era o general Leônidas Pires Gonçalves!

        Pois bem, nosso vilão nessa época não passava de um discreto capitão do 8º Grupo de Artilharia de Campanha Paraquedista do Exército...

        O clima era efervescente nas casernas... O salário dos militares estava muito comprimido e a insatisfação se espalhava...

        O capitão Messias Bolsonaro, que bobo nunca foi, percebeu a oportunidade de sair do anonimato: jogou a disciplina e a hierarquia militar na lata do lixo e escreveu um artigo para a revista Veja relatando o clima de insatisfação dos quarteis.

        No artigo, começava por explicar que a evasão de cadetes das academias militares não era causada, ao contrário do que a imprensa informava, por homossexualismo, consumo de drogas ou falta de vocação para a carreira militar, e sim pelos baixos salários... E por aí foi... Teria sido até um bom artigo não fosse escrito por um oficial que tem por dever respeitar a disciplina e a Ética das Armas que servia.

        O artigo causou grande estupefação: imaginem o que aconteceria ao país se todos os militares das três Armas fossem usar a mídia externa para relatar os seus problemas?

        Mas o Messias Bolsonaro não se deu por satisfeito: em parceria com outro capitão do mesmo corpo de Paraquedistas, Fábio Passos, apresentou à repórter de Veja, Cássia Maria,  um plano para explodir quarteis e a Adutora do Guandu, no Rio de Janeiro.

        Entregou à repórter inclusive um croqui que ele desenhara de próprio punho apontando os pontos da adutora onde as bombas explodiriam... Bolsonaro e seu parceiro da maluquice haviam selado um acordo de sigilo com a repórter... Também não contaram com o espírito de cidadania da moça que, civilizadamente, publicou todo o material que lhe fora entregue e assim fez abortar a maluquice...

        O plano teve até nome: “Operação Beco sem Saída”. Seria posto em prática caso o Exército não reajustasse o salário da tropa...

        O STM – Superior Tribunal Militar abriu inquérito para apurar ambos os casos... Pelo artigo em Veja, de autoria irrefutável, por ter “ferido a Ética e cometido transgressão grave”, Messias Bolsonaro levou 15 dias de prisão...

        No caso da Operação Beco sem Saída, ambos os militares foram absolvidos, o que não impediu que os três coronéis que comandaram o inquérito afirmassem que Bolsonaro e Passos “mentiram durante todo o processo”...

O VAI E VEM DO MESSIAS
       
        Os coronéis do Conselho de Justificação do STM parecem ter acertado em cheio ao classificar o hoje pré-candidato a presidente da República como “mentiroso”! Quem toma conhecimento de sua trajetória política vê um político sem coerência...Messias Bolsonaro se parece  com um daqueles parafusos feitos com material mole, sem têmpera – apertou, a rosca espana!

        Em 1986, idealizou sim um plano para soltar bombas; apertado pelo STM, negou tudo e disse que iria explodir algumas espoletas!

        Agora mesmo, sob ameaça de perder o mandato de deputado por ter exaltado a tortura, nega que a tenha exaltado!

        Oportunista, sabe que seu ídolo no Brasil, o Coronel Brilhante Ustra, é parecido com o general chileno Augusto Pinochet! Ambos usaram os mesmos métodos para combater oposições...

        Ao perceber, em 1986, que a imagem de Pinochet, dadas as atrocidades que cometia no Chile, estava mais suja que pau de galinheiro no Brasil e querendo atingir o Ministro do Exército, general Leônidas Pires Gonçalves, declarou a Veja: “O Exército é uma vergonha! E o ministro Leônidas é um segundo Pinochet!”
       
        Messias Bolsonaro tem também uma péssima interpretação do dado político! A efervescência nos quarteis seria suficiente para pressionar o governo de Sarney a fazer o que fez – aplicou 95% de aumento ao salário das três Armas...

        O artigo em Veja e o plano terrorista de Messias Bolsonaro tiveram peso quase zero na decisão de governo! E o homem que se diz em condições de comandar o Brasil não soube enxergar isso – preferiu o caminho da violência ou da demagogia, não se sabe!






25/07/2017

Jair Bolsonaro, verdadeiro como uma nota de 12 dólares! (1)

        Aos meus leitores e leitoras: este é o primeiro dos quatro artigos que estou escrevendo sobre Jair Bolsonaro! Falarei hoje como ele se parece com Lula, que rouba e diz ser o homem mais honesto do Planeta... Bolsonaro também exalta a tortura e diz ser contra ela; num segundo artigo, mostrarei que ele já defendeu o uso dos mesmos métodos da esquerda violenta que tenta combater (já ouviram falar da Operação Beco sem Saída?); no terceiro artigo, falarei das propostas do pré-candidato para a economia; a pretexto de defender a exploração do nióbio, ataca a política indigenista brasileira e defende, com sutileza, a invasão das terras indígenas... E no terceiro e último artigo, falarei de suas propostas para o agronegócio, um grande, demagógico e perigoso equívoco!

 ------------------------------------------------------------------------------------------

        Ele vem aí! Em tese, não terá nenhuma chance em 2018: por ser nanico, seu partido, o PSC - Partido Social Cristão, não receberá do Fundo Partidário, única fonte de financiamento permitida por lei, recursos suficientes para eleger um candidato a presidência da República!

        Nada é definitivo num país de casuísmos, oportunismos e tantos outros ismos... Uma coligação de última hora, a depender do seu desempenho nas pesquisas, poderá viabilizar a candidatura do deputado, ex-capitão paraquedista do Exército, Jair Messias Bolsonaro...

        Ele nasceu em Campinas, mas há muitos anos está radicado no Rio de Janeiro. Em 2014, elegeu-se deputado federal com quase 465 mil votos, o maior sufrágio à Câmara Federal do RJ naquelas eleições...

        E ele já trabalha sua candidatura a presidente: alicia apoio na mídia, na intelectualidade, e fomenta seu nome nas redes sociais. Sua página no Facebook já tem quase 5 milhões de “curtidas”, fora as muitas outras páginas criadas por adeptos, fãs, grupos de admiradores que já vestiram sua camisa de candidato a presidente em 2018...Quer dizer, Jair Bolsonaro virou coisa séria !

        No vídeo que ele exibe em sua página no Facebook começa a surgir o grande embuste que sua candidatura, se viabilizada, vai representar: o vídeo é um libelo contra o PT, contra toda a esquerda e uma peça de exaltação ao seu ídolo, o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, falecido em outubro de 2015, ex-comandante do DOI-CODI (período de 1970 a 1974).

        Bolsonaro diz: “Não existe nenhuma sentença criminal transitada em julgado contra o coronel Brilhante Ustra... Não há provas, portanto, de que ele seja um torturador, caso fosse eu não estaria aqui falando da vida pregressa dele!”

        Ingênuo por certo ele não é. Mistificador, com certeza!

        E é nesse ponto que Bolsonaro fica muito parecido com Luiz Inácio Lula da Silva!

        Lula roubou desbragadamente, mas diz que é o homem mais honesto do Planeta... Bolsonaro defende a tortura, mas nega que a defenda ou a tenha defendido...

        Lula ataca a mídia e a Lava Jato para tentar escapar da cadeia; Bolsonaro ataca as esquerdas, acusando-as de usar métodos infames, mas se utiliza de métodos ainda mais infames, como a exaltação da tortura...

        Lula é iletrado; Bolsonaro é uma espécie da analfabeto político ou finge ser, por mera conveniência! Finge ignorar, por exemplo, que a defesa da tortura nunca foi uma unanimidade dentro das Forças Armadas e a ressurreição do tema pelo pré-candidato incomoda e enche de vergonha setores do militarismo brasileiro.

        Tortura é um tema que as Forças Armadas gostariam muito de sepultar para sempre!

        O proselitismo de Bolsonaro em relação à tortura é feio, vergonhoso, grotesco! Todos os brasileiros de bem gostariam de dormir com a certeza de que a tortura nunca mais renascerá na política!

        Para as novas gerações que não viveram a tensão daquela época, eu esclareço alguns aspectos imprescindíveis para interpretar os gestos e ações do pré-candidato:

        1- A criação do DOI-CODI (1970) pela Ditadura veio em consequência da multiplicação das organizações de esquerda que partiram para o enfrentamento do regime à mão-armada!

        2- A pretensão das esquerdas de derrubar o regime foi acompanhada de atentados terroristas, núcleos de guerrilha no Vale do Ribeira (SP) e Araguaia (Norte do País), assalto a bancos (dinheiro para sustentar as organizações clandestinas), sequestro de personalidades (para exigir a libertação de presos políticos), treinamento de guerrilha em Cuba...

        3- A tortura para obter confissões (o regime tinha pressa) foi institucionalizada dentro dos organismos repressores, que chegaram a enviar homens para treinamento em tortura aos EUA...

        4- O recrutamento de torturadores era feito na escória das polícias civil e militar; ninguém se espantava, portanto, com os saques rotineiros havidos nas residências dos presos... Primeiro, prendiam o dono da casa, depois a invadiam para roubar todos os objetos de valor...

        5- Não foi apenas a tortura: sob comando e orientação do famoso delegado paulista Sérgio Paranhos Fleury – que já se envolvera de cabeça nos Esquadrões da Morte – foram instaladas no município de Atibaia (o mesmo município onde Lula possui o seu luxuoso sítio), “chácaras de extermínio”... Presos políticos que resistiam às torturas eram levados para Atibaia para ser mortos lentamente, com mutilações de braços, pernas, castração, etc... E havia ainda coisa pior: definido nos porões do DOI-CODI quem seria mandado para Atibaia, os órgãos repressores  passavam aos jornais a falsa notícia de que aquele preso morrera em tiroteio durante uma tentativa de fuga... O recorte do jornal com a “notícia” era entregue ao condenado para delírio dos torturadores...

        6- A tortura era tão lucrativa que chegou a persistir após a liquidação das organizações de esquerda... O Jornalista Wladimir Herzog e o operário Manoel Fiel Filho, não engajados na luta armada, morreram em consequência de tortura, extemporaneamente, no DOI-CODI de São Paulo (em 1975 e 1976, respectivamente)... Eram os torturadores tentando criar fato novo pra justificar a volta da lucrativa indústria da tortura!

        Em resumo, é triste e assustador que um pré-candidato a presidente de República, bem situado nas pesquisas, ressuscite a barbárie como método de campanha e combate aos opositores...

Sessão de tortura simulada....


 Sergio Paranhos Fleury, torturador paulista


Jair Messias Bolsonaro, a nota de 12 dólares





17/07/2017

As mudanças extraordinárias do jornalismo!

        Há pouco mais de 20 anos, saímos do tempo diferido e entramos de cabeça no tempo real; agora, somos forçados a esquecer o analógico e entrar de sola no digital. E o jornalismo ganha configurações jamais imaginadas!

        Tive o privilégio de pertencer à equipe que, sob a batuta de Rodrigo Mesquita, implantou o tempo real (realtime) no Brasil; tudo ocorreu nos anos 1990 através do projeto da Agência Estado – empresa do Grupo do Jornal O Estado de São Paulo – que saía da condição de agência de notícias para se transformar em agência de informações (enquanto a primeira abastecia de notícias os jornais de todo o país, a segunda começava a abastecer os mercados com informações para orientar o trabalho das mesas financeiras).

        A troca de cultura que se irradiou a partir do projeto da Nova AE – como a Agência Estado era chamada por suas inovações – foi uma verdadeira epopeia: o jornalismo de então estava baseado num regime secular – captar uma informação, redigi-la, editá-la e publicá-la dentro de um prazo de 24 horas ou, quando menos, contemplando os interesses da TV, de oito a dez horas!

        O tempo real quebrava esse ciclo na espinha forçando a divulgação instantânea das notícias... o marketing das grandes agências de informações mundiais (Reuters, Knight-Rider, Dow Johnes, Nikkei),  para conquista de novos assinantes nas mesas financeiras, baseava-se na velocidade com que as notícias importantes eram divulgadas... sair na frente em quatro ou cinco segundos fazia grande diferença!

        Planejado pela Nova AE, o treinamento de jornalistas do Grupo Estado para assimilar a nova cultura foi uma guerra! Envolveu os melhores consultores nacionais e internacionais especializados na preparação das pessoas para receber uma novidade que iria mexer com vigor em hábitos sedimentados, práticas mais do que centenárias, formas consolidadas de apurar, escrever e divulgar uma informação! E o tempo real revolvia tudo, forçava mudanças vigorosas no jeito de produzir e fazer, uma nova cultura!

        Em poucos meses, começávamos a colher os primeiros resultados... lembro-me do dia em que um dos repórteres do Grupo Estado assustou o CEO de uma grande corporação do Rio de Janeiro;  durante entrevista coletiva, ele fora informado por assessores que as informações que acabara de transmitir já repercutiam no mercado, divulgadas por celular pelo repórter que pioneiramente se engajara na cultura do realtime...

        Não é fácil remover uma cultura sedimentada e substituí-la por outra nova... o novo tem de ser robusto para se impor... enfrentará resistência, reações em cadeia, intolerância, reprovação!

        O AE News – o serviço informativo da Agência Estado em tempo real – entrou com tamanha força no mercado brasileiro que em menos de um ano de sua implantação foi capaz de alavancar a empresa, transformando-a em “case de sucesso” e líder absoluta do setor de divulgação de informações para mercados na América Latina...

        “Isso vai virar uma coqueluche”, reagiu com acerto o então presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, ao ser apresentado a um terminal da Nova AE... E o AE News nascia junto com um novo jornalista, bem mais veloz na divulgação de seus escritos, bem mais consciente de suas responsabilidades frente à informação por saber que agora, ao invés de escrever para o público em geral, uma entidade quase abstrata, passava a escrever para mercados e para um tipo de usuário que iria ganhar dinheiro com sua informação...

NOVA MUDANÇA É MUITO MAIS ASSUSTADORA

        Esses pouco mais de 20 anos que separam a introdução do realtime  dos dias atuais com certeza não foram suficientes para preparar o jornalista para a mudança em curso – da passagem do jornalismo analógico para o jornalismo digital... Esta sim é uma verdadeira mudança, avassaladora!

        O mais assustador nestas transformações é saber que a mudança está em curso e não se vislumbra um prazo para que ela se apresente por inteiro, com começo, meio e fim! O terreno onde o jornalista atua hoje é movediço, traiçoeiro, fluido! Nada do que é hoje pode ser também amanhã!

        Mas vamos pensar um pouco: afinal, o que essencialmente mudou? O jornalista por acaso não é mais aquele profissional que capta uma informação, destila e a divulga? A resposta pode ser sim e ao mesmo tempo ser não!

        Ah, quer dizer que o jornalista também não é mais aquele que tem e cultiva fontes exclusivas? A resposta também pode ser sim e não!
        Afinal que diabo faz o jornalista nessa nova atmosfera na qual a internet introduziu as redes sociais, a interatividade, a possibilidade de transmissão de qualquer tipo de arquivo – leve, pesado, com documentos, sem documentos, com imagens estáticas, com imagens em movimento – e a possibilidade de acompanhar e captar, importar, compartilhar informações do mundo inteiro, em tempo diferido e em tempo real?

        Boa pergunta, mas sinto dizer que não sei respondê-la e acho improvável que exista no mundo alguém que tenha uma resposta plausível! O que vejo é o pipocar de zilhões de experimentos em toda parte, o que, diga-se de passagem, é algo extraordinário!

        No meio dessa tsunami de inovações e experimentos, o que eu faço? Experimento também, tateio, avanço, recuo, ouso não ouso, observo, sobretudo observo!

        A inflexibilidade soberana no analógico tem de dar lugar a uma condescendência responsável no digital, pois neste o mundo se abriu para a colaboração, para a provocação, para a análise, para o humor, para o desabafo! Basta dizer que somos, os jornalistas, produtores, divulgadores editores ou mesmo compartilhadores de informações!

        Nesses avanços e recuos proporcionados pelo que eu chamo de “nova atmosfera” temos grandes perdas e grandes ganhos; quando a internet liquida com os meios impressos e agora já ameaça acabar também com a TV aberta, perdemos!

        Quando a internet nos oferece mil canais de divulgação para as coisas que produzimos, ganhamos! Quando a internet nos permite acesso a informações qualificadas dos mais diferentes sites e blogs, também ganhamos – e muito! A certeza que aflora é que tudo vai piorar muito antes de voltar a melhorar !

        A internet, como eu já disse, é a grande maravilha do século XXI !

        Ainda hoje pela manhã ao ligar a TV e ser informado que o Reino Unido ainda não saiu da União Europeia, indignado, postei: “Vou dar prazo de uma semana... e se até lá o Reino Unido não tiver saído da União Europeia, vou lá e tiro no tapa!”

        Ganhei de leitores brasileiros inúmeros kkkkkkkkk e de minha sobrinha, a jornalista Fabiana Pio, que mora em Londres, uma frase enigmática: “Não faça isso, deixe assim !”

  
Rodrigo Mesquita liderou a introdução do Tempo Real no Brasil.



Fernando Henrique Cardoso previu o sucesso da Agência Estado




10/07/2017

Uber e moto, aliança explosiva!

Quero deixar claro, pra início de conversa, que este alerta não é contra o Uber, que eu considero uma das maravilhas da Internet! Este alerta é para as autoridades dos municípios de grande porte, com mais de cem mil habitantes, para que olhem com desdobrada atenção a entrada do Uber no mercado de entregas rápidas!

Tenham certeza de que, se nada for feito, assistiremos a partir de agora a um crescimento ainda mais vertiginoso dos acidentes com motos nas grandes cidades, a começar pela gigantesca malha da Grande São Paulo, onde o Uber já marca presença...

É preciso notar primeiro que os acidentes com motos são os que mais têm engordado as estatísticas de mortes no trânsito do Brasil nos últimos 15 anos. Só no período que vai de 1996 a 2011, o número de motociclistas mortos em acidentes no Brasil subiu 932,1%...

O aumento do número de acidentes envolvendo motos tem sido contínuo em todo o Brasil. Há algum tempo se fala em epidemia no trânsito brasileiro e as motos marcam forte presença em toda e qualquer estatística...

Os acidentes com motos mataram dez pessoas só nos três primeiros meses deste ano nas avenidas marginais de São Paulo, mas as estatísticas não mostram quantos desses condutores acidentados estavam ou não a serviço do Uber… A Sociedade vai demorar algum tempo para confirmar se o Uber tem contribuído – como é mais provável – para o aumento de acidentes com motos,  mas até lá pode ser tarde demais para que evitemos uma total degradação do controle sobre esse modal de transporte...

Meu raciocínio nasce da observação do que acontece  na Moto Lig, uma empresa que atua no mercado de entregas rápidas de São Paulo há nada menos de 30 anos...Pois é exatamente este – 30 anos – o tempo que ela passa sem registrar acidente com vítima fatal com sua frota de 100 motos.

Agora, pasmem ! A Moto Lig já chegou a passar 18 anos – eu disse de-zo-i-to-a-nos – sem registrar nenhum acidente, ne-nhum, nem leve, nem grave, com a sua frota de 100 condutores !

Qual o segredo da Moto Lig ? Simples: todos os seus motociclistas  são registrados em carteira, recebem o salário sem atraso, recebem as horas extras rigorosamente dento do combinado; têm direito a um plano de saúde, vale refeição e seguro de vida !

A contrapartida é uma só: respeitar as leis de trânsito e sobretudo aquela norma que estabelece que a moto deve ocupar o lugar de um carro em ruas e avenidas...

O dono da Moto Lig, Wander Antonio de Souza, fala com orgulho da  química que introduz para fazer da empresa um “case de sucesso” num mercado ultra competitivo como o da entrega rápida:

- Para fazer sucesso neste setor, é preciso tratar bem o colaborador, selecionar aqueles que realmente querem trabalhar para se sustentar com responsabilidade; pagar salários conforme manda a legislação da categoria, nunca atrasar  salários e benefícios;  e ainda  o tratamento diário com respeito e dignidade. Sempre valorizamos a nossa  equipe e nunca forçamos os nossos colaboradores  a fazer coisas impossíveis, arriscando a própria vida....

Já a informalidade é o grande mérito do Uber e é nisto que a meu ver mora o perigo no caso de aplicativos do gênero para motos...

A moto é muito mais perigosa que o carro pela simples razão de ter duas rodas a menos; no caso do Uber, motoristas e motociclistas não têm patrão ou ninguém que lhes faça qualquer tipo de exigência. Quem manda no Uber é o aplicativo.

Anoto aqui os cinco pontos que eu vejo como sérios problemas na introdução do Uber para motos:

1- Pelo Uber, quanto mais você trabalha, mais você ganha...a predominância do Uber virá com a predominância da pressa, quanto mais depressa eu entregar, mais eu ganho...essa competição de desesperados, que sempre existiu, será institucionalizada...

2- As condições de segurança da moto – desgaste de pneus, problemas de freios, equipamentos de segurança de passageiros e motociclistas – jamais serão observadas....O aplicativo, no caso dos carros, não faz exigências, a não ser as de quatro portas, ar condicionado e menos de cinco anos de uso do veículo...

3- Não existe empresa responsável pelo acidente...o único responsável será o condutor da moto...

4- O condutor não precisa ser dono da moto...pode cadastrar no aplicativo qualquer uma, emprestada, alugada ou roubada...

5- Não existe treinamento para condutores...no Uber, é cada um por si e Deus – ou o demônio – para todos...

Mas o que podem fazer as autoridades para prevenir o pior ? Embora eu não seja o que se pode chamar de especialista em Uber ou em trânsito, digo que é sim possível fazer muita coisa sem engessar o aplicativo...

Penso que certas exigências para cadastramento que já existem para algumas  categorias de aplicativos para carros – como a do atestado de antecedentes – devem ser obrigatórias para motos.

Creio também que deve ser proibido o cadastramento de motociclistas com menos de dois anos de experiência profissional e carteira de habilitação suja em excesso...




04/07/2017

Rio de lágrimas!

        Aconteceu no dia 30 de junho de 2017: ainda na barriga da mãe, um bebê foi atingido por uma bala perdida que lhe perfurou o tórax e uma das orelhas... Neste dia 04 de julho, permanecia internado em estado grave, ele que foi salvo por uma cirurgia de emergência...

        Onde foi isso? Foi na Vila Ideal, na Comunidade do Lixão, em Duque de Caxias. No estado do Rio de Janeiro...

        Tudo nesse caso nos leva a uma inflexão: o quanto já é aterradora a realidade deste Brasil Varonil por vários anos dominado por um punhado de ladrões e saqueadores!

        Vejam bem o local onde ocorreu essa tragédia: alguém tentava construir uma Vila Ideal numa comunidade nascida em torno de um lixão... É bem típico deste Brasil que ainda tenta escapar das garras dos bandidos e ladrões: confinam em favelas - e no entorno de lixões - milhares e milhares de famílias, obrigam-nas a participar do tráfico de drogas e promovem farta distribuição de balas perdidas... A coisa já chegou a tal ponto, que nem os bebês por nascer são mais poupados...

        Não será por mero acaso que os fatos tenham se dado no Rio de Janeiro, a vanguarda da putrefação de tudo – dos poderes constituídos, das instituições democráticas, da economia, do tecido social...

        O Rio de Janeiro hoje é uma Venezuela piorada... O Rio de Janeiro é uma síntese do que vai acontecer com todos os demais estados da Federação se o eleitor não tomar jeito depressa, em ritmo de emergência...

        Tenho pra mim que o ano de 2018 deverá ser decisivo para definirmos o Brasil que queremos: ou a renovação da base da política, sepultando grande parte das maçãs podres, ou a continuidade dessas práticas deletérias que evoluem para transformar toda a Nação em Venezuela ou no Rio de Janeiro...

        Quando digo “grande parte” penso na impossibilidade de fazermos a limpeza que deve ser feita num só pleito; penso numa quantidade de maçãs de tal modo reduzida que não teria força para contaminar o todo...

        Sei que isso que afirmo é  utópico! Mas tenho de acreditar que existe uma saída que não seja o Aeroporto de Cumbica...

Bebê atingido por uma bala perdida

Manifestações no Rio de Janeiro

Tiroteio no Rio de Janeiro

Caos no Rio de Janeiro

26/06/2017

Golpes benignos!

        Disseram que o Impeachment de Dilma Rousseff foi golpe! Passados 10 meses do acontecido eu, finalmente, reconheço: sim, foi golpe, mas golpe benigno... Através dele conseguimos tirar da Presidência da República uma mulher incompetente e corrupta! Que venham mais golpes iguais a esse sempre que as circunstâncias os exigir!

        Falam agora em um novo golpe, golpe contra Michel Temer, que ocupou a vaga aberta com o afastamento de Dilma Rousseff...

        O cenário ainda é turvo e eu mesmo começo achar que a verdadeira intenção dos golpistas foi exatamente esta: turvar o cenário para que possam caminhar com mais desenvoltura, na penumbra, até atingir seus objetivos malignos...

        As versões que correm pela Internet aproximam-se do delírio: o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, aliou-se ao relator da Lava Jato no STF, Edson Fachin, e ambos se aliaram aos donos da J&F, Joesley e Wesley Batista, para derrubar o presidente da República, Michel Temer, e, junto com ele, derrubar também  o presidente do PSDB, Aécio Neves...

        Os golpistas conseguiram o apoio das Organizações Globo – várias emissoras de TV aberta, líderes de audiência; algumas emissoras de TV por assinatura; um ainda poderoso jornal impresso no Rio de Janeiro e um já robusto serviço de divulgação de notícias pela via eletrônica... Todas essas mídias, que englobam vários jornalistas experimentados na cobertura política, deram cobertura monolítica ao golpe, sem divergências...

        E tem mais: tudo teria sido (segundo mais uma novíssima versão que corre pelas redes sociais) arquitetado por José Dirceu com dois objetivos “muito claros”, segundo a maioria dos jornalistas que agita e fermenta essa versão – proteger Luiz Inácio Lula da Silva e detonar a Lava Jato...

        Eu que tenho quase 50 anos na lida diária com informação, confesso minha incapacidade de ligar os pontos e chegar a uma interpretação lógica para tudo o que tem acontecido... Embora não ache nada improvável nenhuma dessas conjecturas, prefiro enxergar o conjunto da obra como algo em movimento, que ainda não ganhou forma definitiva, de modo que qualquer conclusão que eu fizer pode ser precipitada e desencadear reações inconvenientes... Cautela e canja de galinha nunca fizeram mal a ninguém...

        Aqui no meu canto, como observador atento dos acontecimentos, contabilizo os benefícios já consolidados desse golpe ou dessa tentativa de golpe, ainda não se sabe...

        E os benefícios já são vários e fortes:

1º.) – Aécio Neves – O Brasil inteiro descobriu, perplexo, o verdadeiro Aécio Neves que se escondia atrás de um discurso fluente, agora percebido como discurso de enganar-trouxa... Quase compramos gato por lebre na figura desse neto indigno de Tancredo Neves... O golpe nos fez enxergar um senador da República que mordia sordidamente um empresário... Vimos agora que ele é indigno de ocupar uma cadeira do Senado: nunca o vimos denunciar os empresários que achacava... A explicação que inventou para o flagrante da PF só acentua a sua indignidade: tentava vender um imóvel da família a empresários que ele, como senador, deveria ajudar a por na cadeia...

        Além disso, negava peremptoriamente todas as demais denúncias que pesam contra ele, inclusive aquelas que dizem respeito a sua nefasta ingerência em Furnas... Foi esse golpe que nos alertou para a farsa Aécio Neves... Alguns que golpeiam os golpistas prematuramente acusam o STF de ter sido benevolente com Renan Calheiros e duro em excesso com Aécio Neves como se fosse justificável mais uma benevolência... Diria que Aécio fez por merecer muito mais do que recebeu e continua em liberdade por bondade de seus pares – também em corrupção – no Senado...

2º.- Michel Temer – Entre os intérpretes desse golpe, há os que dizem que “Temer foi flagrado desviando apenas 500 mil reais! ”... Trazem para a política, a prática da cobertura policial, em que não se dá importância a roubos de pequena monta... Deveriam se lembrar de José Maria Marin, flagrado roubando uma reles medalha, hoje em prisão domiciliar em Nova York por ter roubado milhões...

        O caso da mala que foi transportada até em avião da Fab por seu amigo do peito Rodrigo Rocha Loures é revelador, independente do valor transportado, de uma indignidade que faz por merecer seu afastamento da presidência da República... Ladrão é ladrão, seja lá qual for o valor roubado...

        Poder enxergar, nu e cru, o verdadeiro Michel Temer que se esconde atrás de uma certa elegância em se vestir, atrás de um discurso com sofisticação gramatical, é outro grande benefício desse golpe... Temos mais um presidente ladrão, capaz de se aliar à escória do empresariado brasileiro e manobrar na penumbra contra a Lava Jato e todas as demais iniciativas que podem retirar o país do atoleiro em que o PT o enfiou...

        Não merece mais nenhum crédito um presidente que mente em tudo o que faz; mentiu ao falar das razões que levaram Maria Sílvia a se afastar do BNDES quando se sabe agora que era ele que manobrava para que ela se demitisse.... Mentiu ao dizer que não era íntimo de Joesley, mentiu ao dizer as razões que o levaram a receber o empresário “criminoso notório” em sua residência, altas horas da noite...

        Devemos a esses golpistas, pois, a revelação definitiva da verdadeira face de Michel Temer, um presidente tão desavergonhado quanto seus dois antecessores...

3- TSE – Devemos ainda ao golpe, o desabrochar de uma clara percepção de que vamos precisar sem demora instalar uma nova Constituinte para  produzir uma reforma de base no modelo político do País, aperfeiçoando o sistema federativo e desatrelando os poderes da atual interdependência... Dentro do atual modelo deletério fomos obrigados a assistir, de mãos atadas, a um tribunal de última instância, o TSE, validar a eleição mais fraudada da já longa história da República brasileira com a ajuda de dois ministros recém nomeados pelo presidente-réu...

4- Irmãos Batista – Outro grande benefício do golpe em andamento foi ter corrigido o olhar que os brasileiros faziam do Império J&F. Tínhamos a tendência de enxergar nas empresas dos irmãos Batista uma obra ousada, mas fruto da visão empreendedora de dois caipiras de Goiás; agora se vê que não é nada disso: o Império J&F é na verdade o resultado de um grande assalto ao dinheiro do BNDES durante os dois governos do PT.

        Janaína Paschoal, a Musa do Impeachment, acaba de levantar uma hipótese que, se confirmada, consagraria esse golpe como benigno, definitivamente benigno: Janaína Paschoal abriu o Twitter e tascou, nesta semana, nada menos de 40 posts em que sugere que Lula é o dono da JBS, o que explica os cuidados que Joesley Batista tem com o ex-presidente.

        Ela questionou o acordo de leniência firmado entre a empresa frigorífica e o Ministério Público Federal, destacando em seguida que “a cada dia, fica mais claro que Joesley blindou Lula. Em depoimento, ele mencionou contas no exterior, mas disse que tratava com Mantega”.

        Eu mesmo já escrevi aqui no Face ter conhecimento de insistentes boatos de que o filho de Lula, o Lulinha, tem interesses societários na JBS... Já vieram me dizer que Lulinha foi visto no porto de Santos orientando um carregamento de insumos que seriam destinados às fazendas da JBS no Norte do País... Como jornalista, sempre soube que boatos desse tipo, quando muito persistentes, têm sempre um fundo de verdade...

        Sempre achei que Lula não liberaria tantos recursos do BNDES aos irmãos Batista sem tirar vantagens proporcionais ao tamanho das liberações...
 
Seriam eles os verdadeiros donos da JBS? - Essa é a tese da Musa do Impeachment Janaina Paschoal.



22/06/2017

Informação, êta bicho indomável !

É relativamente fácil, como se vê novamente, comprar a Rede Globo de Televisão: compram uma rede de várias emissoras da TV aberta, estrategicamente espalhadas pelo país e pelo mundo, e levam de brinde alguns canais por assinatura, um ainda grande jornal carioca, uma revista de circulação nacional e um portentoso serviço de informações pela via eletrônica...

A Globo tem memória curta: demonstra já ter esquecido o escândalo do Proconsult (1982) quando uma sofisticada manobra na contagem dos votos, liderada pela emissora, quase rouba a eleição de Leonel Brizola ao governo do Rio de Janeiro; tudo foi feito sob a proteção dos militares que tentavam evitar a ascensão de um “esquerdista” e proteger um aliado do regime, o eterno Wellington Moreira Franco...

É fácil comprar as emissoras menores – SBT, Record, Bandeirantes. Virão todas  no mesmo pacote ! Até as igrejas evangélicas já compraram uma delas, a Bandeirantes, não é mesmo ? E a outra, o SBT, se vendeu pela bagatela de dois bilhões de reais pra tapar o rombo do Banco Panamericano...


Está a cada dia mais fácil comprar os grandes jornalões brasileiros; antes trincheiras da Democracia, hoje, ameaçados pela crise devastadora do meio impresso, se vendem a preço de banana… Só o Estadão ainda resiste, mas se não se precaver, afundará sem ter ninguém pra chorar a sua morte...

QUERO VER É ALGUÉM COMPRAR A INTERNET!!!

Minhas amigas e meus amigos, temos de agradecer de joelho  o inventor – ou os inventores - dessa maravilha!

A INTERNET é a grande invenção deste desabrochar  do Segundo Milênio!

Com ela, a informação se tornou um bicho indomável! Ou incomprável, como diria Rogério Magri… Não há como aprisioná-la, não há como – viu Lula, Temer, Joesley, Dilma, Eduardo Cunha, para ficarmos apenas com os ladrões mais proeminentes do momento – fazer as coisas no escurinho do cinema, na penumbra, nas catacumbas do off;  não, não há mais!

Haverá sempre uma câmera escondida, um gravador, um blogueiro, um jornalista, um cidadão do bem, de olho em vocês...a informação vai chegar ao destino que vocês tentaram evitar, vai chegar cada vez com maior rapidez, com maior precisão, com maior  clareza....Vai chegar a todos os rincões do país e do mundo ! Eu disse “do mundo !”, pensem nisso também....

Ah, mas existem os algoritmos, essa malévola invenção dos desenvolvedores e estes podem deixá-lo de fora do compartilhamento de uma informação relevante ! Não faz mal não ! Encontraremos os meios mais eficazes de driblar os algoritmos… Já há pessoas que o fazem com sucesso: quando desconfiam que o Facebook, como exemplo,  não lhe manda mais aqueles artigos de  amigos que sabem das coisas, dão um drible nos algoritmos e vão direto à fonte,  ou seja, à página dele no sistema...

FUSÃO NA VEIA !

A Internet é uma magnífica fusão de todas as linguagens ! A Internet é jornalismo, literatura, cinema, televisão, rádio, teatro, fantoche, mamulengo, mímica, banner, outdoor, desenho animado, a Internet é humor e humor de alta qualidade !

A Internet é a mídia de todas as mídias !

A Internet é libertária, a Internet é luz, claridade onde antes prevalecia a penumbra, o segredo de alcova, os mistérios muitas vezes insondáveis, as trevas!

Pela Internet podemos fazer uma visita-surpresa à mansão do Eike Batista; pela Internet, podemos bisbilhotar o sítio do Lula em Atibaia e admirar o seu esplêndido casal de cisnes; visitar as obras de arte confiscadas dos ladrões, expostas em Curitiba...conhecer a ilha do Sarney, lá no Maranhão!

Pela Internet, desvendamos e desvendaremos todos os segredos e mistérios das alcovas e  catacumbas! Os povos do mundo inteiro ganharam luminosidade e as tecnologias de acesso, como  previsto pelos cientistas do MIT há muito tempo, cada vez mais poderão ser feitas em casa...

Grande aliado da Internet, o satélite pode muito bem levar uma informação daqui para ali ou trazer de lá para cá na velocidade da luz...não existem barreiras para o satélite, nem censura, nem distâncias, nem mar, nem maremoto, nem erupção ...já vivemos num planeta inteiramente conectado e num planeta que será cada vez mais conectado...

Meu amigo Ethevaldo Siqueira avisa que a chamada Internet das Coisas expande-se a galope: até 2020 teremos 20 bilhões de objetos conversando com objetos!

Vamos a alguns exemplos bem práticos desse novo mundo:

1- Este ano (2017) surgiu com a eclosão de várias chacinas em presídios lá no extremo norte do país ! Os presídios brasileiros – não se enxergava com tanta clareza – foram transformados em trincheiras de organizações criminosas e esconderijo das atrocidades regionais; inchavam  - e ainda incham - os presídios como tumores incrustados nas pernas  da sociedade brasileira: a internet foi a lanceta que fez o pus vazar e encobrir-nos – e ao mundo inteiro - de horror e vergonha ! Pela internet assistimos, escandalizados, os algozes exibindo a cabeça de suas vítimas, degoladas...

2- Em 2016, tivemos a primeira eleição com a presença de uma Internet massificada; e o PT quase foi varrido da política brasileira !

3- Também neste 2017, que tem tudo pra registrar o triunfo da Lava Jato, ainda vemos as velhas lideranças apodrecidas – Lula, Temer, Dilma, o presidiário Eduardo Cunha e vários outros coadjuvantes – unirem-se ao capitalismo-bandido e à mídia conivente para manipular a opinião pública e tentar vender mentiras como se fossem verdade...esqueceram-se todos – ladrões e criminosos – da existência da Internet....

Chamo a atenção, em especial, para  duas sínteses magistralmente aplicadas pelas redes sociais:

1ª- Josias de Sousa, dono de um blog, lança a mortífera frase de humor: “Esse Joesley Batista é uma virgem de Sodoma e Gomorra !”

2ª- Numa charge (veja abaixo) – que os internautas chamam de Meme, o internauta Deio Escobar colocou Joesley Batista sentadinho no colo de um Lula grandão, boneco e ventríloquo flagrados no momento em que repetiam “TEMER É O CHEFE !"


Magnífica, não ??!!


A mansão do Eike

O sítio do Lula em Atibaia com o casal de Cisne

Obra do artista Vik Muniz, uma das peças apreendidas na Lava Jato

A ilha do Sarney