25/02/2018

Jair Bolsonaro, a fina flor do populismo!

        **Publicado em 10/08/17 e atualizado em 23/02/2018**

       Há um consenso nas universidades dos EUA em enxergar o populismo nos dias atuais como uma ideologia rasa que vê a sociedade dividida em dois grandes grupos homogêneos e antagônicos – de um lado está o povo simples e de outro as elites corruptas!

        A definição casa como uma luva com o jeito de agir e discursar do pré-candidato a presidente da República, o deputado Jair Messias Bolsonaro (de partido ainda por ser definido), talvez o político mais populista entre os que já aquecem baterias para o pleito de 2018.

        Capitão da reserva do 8º Grupo de Artilharia de Campanha Paraquedista do Exército, 60 anos de idade, Messias Bolsonaro pode ser definido assim: um político que faz voos rasantes sobre quase todos os temas da realidade brasileira, não se aprofunda em nada e vê o país dividido em dois grandes grupos - a esquerda corrupta do PT e as pessoas de bem que querem produzir e viver em segurança.

        Melhor prestarmos muita atenção nele, desde já! Não dá ponto sem nó e não prega prego sem estopa. Sua plataforma está disponível nas redes sociais e quem não tiver senso crítico aguçado vai-se deixar encantar e até contribuir para levar o país em 2018 a mais uma aventura do tipo Collor de Mello.

        Adora assunto polêmico (homofobia, homossexualismo, armamento dos civis) porque sabe que ao abordá-lo terá mídia gratuita; adora exaltar as Forças Armadas porque sabe que tem crescido a adesão à intervenção militar; adora atacar os programas insuflados pelo PT (cotas raciais, Bolsa Família, demarcação das terras indígenas, etc) porque sabe que assim pode arrebanhar eleitores descontentes com a baderna instaurada pelos governos petistas.

        Seus radares capturam sinal de polêmica em torno de algum assunto ? Então, entrará nele chutando com os dois pés, sem se importar com a  profundidade... Tem alguns poucos méritos e grandiosos deméritos!

        Na contabilidade dos poucos méritos está a denúncia, que ele repete com insistência, de que a esquerda usava os mesmos métodos da Ditadura Militar: matava após julgamentos sumários e sem nenhum direito à defesa! Chamavam esses assassinatos de “justiçamentos”! Uma verdade que ninguém, a não ser ele, tem coragem de denunciar. E denuncia, como já admitiu Fernando Gabeira, ex-militante da luta armada, que a esquerda quis tomar o poder a força para instalar uma outra ditadura, a do proletariado...

        Na conta dos grandes deméritos está a defesa da tortura e o combate sistemático ao que ele chama de “defensores dos direitos humanos”. Quer mídia, mídia e mídia, nem para pra pensar que “Direitos Humanos” não é uma agenda exclusiva dos partidos de esquerda!

        Messias Bolsonaro, um homem que quer ser presidente da República, parece ignorar que o acesso à Educação, à saúde pública, a pelo menos três refeições por dia, à moradia, à água potável, ao saneamento básico, à defesa, a lazer, são direitos humanos que devem ser defendidos por todos os cidadãos, seja lá qual for o partido, a ideologia, a crença religiosa...

        Demagogo, apanha os temas mais complexos e simplifica tudo, cinicamente... Numa longa entrevista ao jornalista Guto Brandão, levada ao ar pela TV Tambaú, da Paraíba, e também disponível na internet, Messias Bolsonaro fala de tudo e conclui com suas três grandes propostas para governar o Brasil: resolver os problemas de segurança, freando a política de direitos humanos; incentivar o comércio multilateral eliminando o Mercosul e  incrementar o turismo garantindo a segurança do turista em todas as regiões do país!

        Típico discurso raso, populista!

        As grandes cidades colombianas – Bogotá, Cali, Medellín - já foram consideradas as mais violentas do mundo nas primeiras décadas do Novo Milênio e em dez anos de aplicação, pelo governo federal, de um programa de alta complexidade, que implicou até em anistia para jovens criminosos, viraram o jogo e passaram a figurar no rol das cidades mais seguras do mundo!

        Para fazer melhor que isso, Messias Bolsonaro já tem no bolso do colete quatro medidas bem mais simples: aliviar a punição a policiais que cometerem abusos; reverter a lei do desarmamento, permitindo que todo o cidadão possua uma arma de fogo; combater “a defesa dos direitos humanos” e manter os criminosos na cadeia, acabando com o regime de progressão de pena!
 
        Dá é pena de quem acredita nessas coisas!

        E assim, ligeiro ligeirinho, ele vai na direção do trono!

NIÓBIO, GRAFENO

        Quem vê os planos de Messias Bolsonaro para o aproveitamento das riquezas de subsolo, sente vontade de chorar! É tudo lindo maravilhoso: só a exploração racional do nióbio (o Brasil lidera com folga o ranking de países com jazidas conhecidas do minério) e do grafeno tiraria o país da miséria e permitiria que ele tomasse, com firmeza, o rumo do desenvolvimento sustentável.

        Quem, entretanto, prestar mais atenção ao que ele diz e propõe vai perceber que tudo não passa de demagogia, capciosidade e mistificação!

        É justamente na mineração que se manifesta a face mais sinistra, selvagem e poderosa do capitalismo brasileiro. Sua ideia de exportar sempre com alto valor agregado não é nova; surgiu há muitas décadas atrás, mas até agora ninguém conseguiu mudanças significativas e continuamos como exportadores de alta tonelagem, sobretudo de ferro, sem qualquer processamento.

        O presidente que ousar mexer na mineração pra valer cairá em menos de um ano e vai-lhe restar, fora do cargo, denunciar as “forças ocultas” que o derrubaram, como fez Jânio Quadros de triste memória!

        Gerações inteiras de operários das minas de carvão em Santa Catarina morreram de pneumoconiose porque os mineradores, ao importar as máquinas para automação da extração, “esqueceram” os aspersores e umidificadores que combateriam o pó nas galerias das minas; agora mesmo, em Paracatu (MG), centenas de pessoas morrem de câncer transmitido pela insalubridade das minas para extração de ouro que segue para o Canadá.

        O desastre de Mariana (MG) é uma demonstração de toda a perversidade da mineração brasileira e, curiosamente, não se ouviu do deputado Messias Bolsonaro um só protesto contra a série de desmandos verificados; nem dele, nem de seus pares na Câmara Federal em grande número na gaveta da Vale do Rio Doce, corresponsável por essa que foi a maior tragédia ambiental da história do Brasil.

        Há pouquíssimos dias, a Justiça anulou a sentença que punia os vários responsáveis pela tragédia de Mariana e não se ouviu uma só voz de protesto no Congresso brasileiro.

        Há pouco tempo, Messias Bolsonaro assumiu a tribuna da Câmara para denunciar a venda aos chineses de jazidas de nióbio em Goiás (apenas 3% das jazidas brasileiras). Conseguiu reverter a operação? Não! Ele continuará a ser uma voz solitária, por sua incapacidade de articulação e sua compulsão em dar a tudo que faz e fala um tom midiático - cacarejo  de ave que se prepara para alçar o maior voo de sua carreira política...

        Se ele quisesse de fato fazer algo em prol da racionalidade na exploração mineral no Brasil, teria gritado, esperneado, para mobilizar seus pares no Congresso e aprovar um novo e decente Marco Regulatório do setor...

NO VALE DO RIBEIRA

        Por que será que Messias Bolsonaro escolheu o Vale do Ribeira, a região mais pobre do estado mais rico da Federação (SP), para apresentar a sua proposta para a exploração do grafeno? Tenho minhas suspeitas: ele quis na verdade matar vários coelhos com uma só cajadada! É muito esperto !


        O Vale do Ribeira, em primeiro lugar, é emblemático para representar o fracasso das esquerdas que ele tanto combate: por ser uma região pobre, foi escolhida pelo líder guerrilheiro, o capitão Carlos Lamarca, para implantar um primeiro foco de guerrilha, dizimado pela Ditadura Militar. Bolsonaro exalta os militares, exalta a tortura, condena o “justiçamento” de pessoas pela esquerda e a guerrilha de Lamarca foi uma síntese de todas essas iniquidades - de um lado e de outro!

        Todos os estados brasileiros, segundo os organismos de mineração, possuem jazidas de grafite, portador natural do grafeno, mas a jazida do Vale do Ribeira, até agora não dimensionada, é a única localizada em área indígena, um prato cheio para o candidato açular as suas várias “teorias demoníacas” contra as bandeiras do PT:

        - Esta reserva aqui - do Vale do Ribeira - foi criada pela Funai há pouco tempo para cerca de 70 índios, alguns inclusive trazidos do Paraguai!

        - Dentro de praticamente todas as reservas indígenas brasileiras há jazidas  importantes de minérios, alguns preciosos como o nióbio e o grafite!

        - A reserva Ianomâmi e a reserva Raposa Terra do Sol serão destinadas à formação de nações independentes no futuro!

        Ele não diz que os índios de Roraima, da Raposa Terra do Sol, contrabandeiam nióbio através de ONGs internacionais, mas coloca nos vídeos de campanha várias pessoas “denunciando isso”... O negócio de Messias Bolsonaro é bem esse: deixar que os mitos se espalhem e se agigantem, pois o eleitor enxergará nele o único candidato capaz de “destruí-los”... Por que ele não assume essa bobagem?

        Porque sabe que é bobagem: a incidência de nióbio sobre cada metro cúbico minerado é tão pequena que as “ONGs Internacionais” teriam de instalar um canteiro de mineração gigantesco na reserva indígena, algo que poderia ser identificado facilmente por satélite!


        Neste fim de fevereiro de 2018, a candidatura de Messias Bolsonaro levou sua primeira pancada mais forte....já chamam a Intervenção Militar decretada por Michel Temer no RJ, reduto eleitoral do deputado, de "Intervenção Pega Bolsonaro"...o que faz sentido: por que votar num candidato que promete fazer, sabemos lá quando, aquilo que  Temer fez agora e numa só canetada ?!

        OBS – Quem tiver interesse em conhecer mais sobre o nióbio e toda a polêmica que ele desperta entre aqui: http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2013/04/monopolio-brasileiro-do-niobio-gera-cobica-mundial-controversia-e-mitos.html

Bolsonaro discursa na Câmara




 Extração de nióbio em andamento nos arredores de Araxá, cidade situada no sul de Minas

Reservas indígenas dos Ianomâmis

Reservas indígenas Raposa Terra do Sol



18/02/2018

Descanse em paz, Celso Daniel (Se puder...)

 **Publicado em 12/07/16**       

        A libertação de Ronan Maria Pinto, preso preventivamente na 27ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Carbono 14 e deflagrada no início de abril, é um péssimo sinal para os brasileiros que sonham em ver esclarecido o assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel,  e ver o país, se não  livre, ao menos com um índice de corrupção bem menor.
        O  empresário Ronan Maria Pinto, hoje controlador do Diário do Grande ABC, obteve  liberdade condicional por decisão contrária ao entendimento do juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato em Curitiba; a decisão de libertá-lo foi tomada pelos desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), em Porto Alegre.
        É a primeira vez que o TRF4 concede habeas-corpus contra uma prisão determinada por Moro na Lava Jato.
        Vê-se, por aí, que o território de ataque à Lava Jato tem mesmo proporções continentais.
        Os promotores que deflagraram a Operação Carbono 14 deixavam claro que a prisão de Ronan não deveria significar que a Lava Jato iria investigar também o assassinato de Celso Daniel.
        A prisão de Ronan – explicaram – tinha a ver apenas com as razões que levaram o empresário José Carlos Bumlai, amigo de Lula, a dividir com ele, Ronan, o empréstimo “fraudulento” que obteve no Banco Schahin, de 12 milhões de reais.
        Os brasileiros ficaram a ver navios nessa história. Como entender que um tribunal do Rio Grande do Sul mande soltar um preso sob custódia da vara Federal de Curitiba? Como entender que Ronan deixe a prisão sem explicar por que recebeu metade de um empréstimo contraído por Bumlai? Como entender que a promotoria que prendeu Ronan não queira esclarecer os mistérios que ainda cercam a morte de Celso Daniel e de mais sete pessoas na esteira do assassinato de um prefeito do PT?

        Somos mesmo o país das bruzundungas!

        Em meu blog, há duas semanas, divulguei artigo tentando mostrar que o PT pode ter mandado assassinar tanto Celso Daniel quanto o Toninho do PT (prefeito de Campinas) e fui chamado de mentiroso e de irresponsável  por “jornalistas-petistas” como se alguém que pode ser rotulado de petista possa também ser considerado jornalista.

        HISTÓRICO CONSPIRA CONTRA PT

        Ronan foi um dos primeiros suspeitos de pertencer à quadrilha que mandou assassinar Celso Daniel.

        Depois da morte do prefeito, vários fatos enchem de mistério e de sangue essa história:

1º- Bruno Daniel, irmão de Celso, começou a levantar dúvidas sobre a versão que a polícia tentava impor para o crime (simples latrocínio, sem nenhuma conotação política) e teve de fugir para a França para escapar da morte; outro irmão, Francisco, teve de desaparecer do Estado de São Paulo.

2º- Gilberto Carvalho, da Executiva Nacional do PT e amigo pessoal de Lula, até agora não deu uma explicação minimamente convincente para seu trabalho de assessor de Celso Daniel. Foi acusado de ser o homem que levava o dinheiro da prefeitura para o PT.

3°- Luiz Eduardo Greenhalgh, então deputado federal pelo partido, acompanhou a necropsia do corpo e assegurou à família que Celso não tinha sido torturado, o que foi desmentido pelo legista Carlos Delmonte Printes.

4°- O legista Carlos Delmonte Printes é encontrado morto em seu escritório em São Paulo no dia 12 de outubro de 2005.  A perícia descartou morte natural.

5º- Antônio Palácio de Oliveira, o garçom que serviu o último jantar ao prefeito, em São Paulo, foi assassinado em fevereiro de 2003.

6º- Paulo Henrique Brito, testemunha da morte do garçom, é assassinado em março de 2003.

7º- Iran Moraes Rédua, que reconheceu o corpo de Daniel, foi assassinado em dezembro de 2003.

8º- Dionísio Severo, suposto elo entre a quadrilha executora e um dos mandantes do crime, foi assassinado em abril de 2002.

9º- Sérgio Orelha, amigo de Severo, foi assassinado em 2002.

10º- Otávio Mercier, investigador que ligou para Severo talvez para alertá-lo dos riscos que corria, foi morto em julho de 2003.

        Ronan Maria Pinto conhece todo esse roteiro macabro e Lula sabe que ele conhece. Penso que foi por isso – e apenas por isso – que ele ordenou a Bumlai que dividisse o dinheiro do Banco Schahim com Ronam.

        A história me parece que é esta, mas quem não quiser acreditar nela que conte outra.




Ronan Maria Pinto, preso e já liberado sem contar o que sabe do assassinato do prefeito Celso Daniel

Lula também nunca contou o que sabe sobre o assassínio de Celso Daniel e Toninho do PT

Juiz Sergio Moro, ao que se informa, não queria a liberdade de Ronan Maria Pinto 

10/02/2018

Exclusivo: entrevistamos Gleisi Hoffmann!

**POSTAGEM DE 06/06/2017**

A entrevista estava prometida há vários meses, mas ela só a concedeu ao ser empossada na presidência de seu Partido:

P. Senadora Gleisi Hoffmann, quais são seus planos para reconduzir o PT ao pedestal onde era encontrado até há dois anos atrás ?

R. Tenho muito planos, a começar por dar um novo sentido à sigla partidária… na minha gestão, PT não significará mais Partido dos Trabalhadores e sim Putaria Total, muito mais condizente, não acha?

P. Acho sim… sinceridade é tudo na política...

R. Também não precisa exagerar, né ? Uma mentirinha de vez em quando não faz mal a ninguém...

P. Vamos então a um teste de sinceridade… a senhora ganhou, na brilhante trajetória política, inúmeros codinomes… a senhora se lembra de quais ?

R. Ah, são muitos ! Senadora Coxa-Branca, em homenagem ao meu Coritiba; Narizinho; Rainha do Impeachment,  Amante, nas Planilhas da Odebrecht , etc… Mas surgiu agora um último que eu a-do-rei: Rainha do Puteiro ! Bem mais condizente com o novo significado da sigla do meu Partido !

P. A senhora se esqueceu  de um último, Iogurte, por que ?

R. Achei racista ! Maldade de quem me acha branca e azeda !

P. Agora responde honestamente, quais foram as grandes conquistas da “Era PT” ?


R. Tirando o “honestamente”, termo que nunca existiu no meu dicionário, respondo que as conquistas foram inúmeras... se eu fosse mencionar todas elas não caberiam na página do seu jornal...

P. Mencione as mais importantes, a começar pela área de Saúde Pública...

R. Ah, simplificou ! Anota aí: Dengue, Chycungúnnya, Zica, Guillan  Barré, Febre Amarela, tuberculose, sífilis, desvios de verbas nunca antes verificados na história  da Saúde, perda  de  24 mil leitos na hospitalização do Sus...quer mais ? Fizemos, como se diz nos mais importantes puteiros do país, barba, cabelo e bigode...

P. A senhora por acaso sabe onde sua rainha, a mulher honesta, Dilma Rousseff, enfiou os 70 milhões de dólares em propina que recebeu da J&F ?

R. Sei, mas não posso revelar...

P. Ora, dá só uma pista, vai ?

R. Uma pista ? Bom, deixa eu pensar… ela enfiou no mesmo lugar que o Lula enfiou os seus 80 milhões de dólares... E você tá preocupado com essa merreca ?

P. Ufa ! Pensei que a senhora ia dizer que o Lula enfiou na CUT ! Outra pergunta: o que há de verdade na história de que seu  marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, roubou dinheiro de aposentados ?

R. Roubou, não ! Confiscou ! O dinheiro será devolvido com juros e correção monetária no dia 31 de fevereiro de 2018...

P. Puxa ! Então foi uma super-obra social ?!

R. Exatamente !  Mais uma grande conquista da Era PT, um partido, que agora renovado, ainda vai dar muitas outras alegrias ao povo deste país...

P. A senhora sente  orgulho de ter ajudado a expandir o Bolsa Família ?

R. Já senti… hoje a finalidade que determinou a expansão do Bolsa Família se esgotou… na verdade, expandimos o programa para fortalecer o curral eleitoral do partido no Nordeste… Hoje, não precisamos mais do Nordeste para eleger nossas lideranças… todas elas têm hoje apoio expressivo em toda parte… onde houver um trabalhador neste país, no campo ou na cidade, ele vota no PT… com a renovação a caminho  voltaremos à ribalta já nas próximas eleições...

P. Por falar em eleições, a senhora acha que o Temer deve renunciar ?

R. Eu tenho duas respostas, uma boa e outra ruim pra ele...qual delas você quer ouvir primeiro ?

P. Dá primeiro a ruim, quem sabe a gente o mata logo de uma vez..
.
R. Bom, a ruim é que o nosso partido vai fazer, nos bastidores, de tudo para deixá-lo lá até o fim do mandato, sangrando, e resolvendo todos os problemas que nossa Presidenta deixou pra ele… Quando não tiver mais sangue, lá  por 2018, o Lula entra, glorioso, recebe o país em ordem e governa sob aplausos !

P. Boa !, quer dizer bem ruim mesmo !  E a boa qual é ?

R. A boa é que a militância do partido vai sair às ruas, gritar, espernear, incendiar ônibus, etc, aos gritos de “Fora Temer !”... e você sabe que quando isso ocorre, acontece exatamente o contrário ! Ele não escapará… fica no governo até o fim pra deixar de ser traidor...

P. Última pergunta, senadora: qual foi, na sua opinião, o grande saldo positivo desses 14 anos de governo petista ?

R. Olha, vou ser outra vez muito sincera: o PT ensinou o brasileiro a roubar… ele já roubava, mas era muito amador, roubava pouquinho, só pro gasto… o meu partido profissionalizou o roubo e ensinou o brasileiro a ter ambição… você vai ver que a partir de agora, o brasileiro não vai precisar mais de programas do tipo bolsa família, crédito consignado, farmácia popular, etc… ele caminhará altivo, com as burras cheias de dinheiro...






06/02/2018

Mônica Iozzi, Letícia Sabatella, Zé de Abreu e Aécio Neves

*Postagem de 11/04/2017*

        Ela andava sumida e reapareceu no sábado passado como convidada de Serginho Groisman, no Altas Horas... Foi saudada pelo apresentador como uma mulher de fibra e que mantém suas posições com firmeza ao longo do tempo...
        Serginho ainda informou que ela expressa suas opiniões pelas redes sociais... Fiquei curioso e corri para o Facebook; não demorei pra descobrir que Mônica Iozzi – sim, estou falando dela! – é, digamos, uma espécie de Zé de Abreu de batom...
        Não sei o que vocês acham de Zé de Abreu, mas pra mim ele é um dos canalhas a serviço do PT... Nada mais do que um canalha!

        Mônica, ao contrário, não se identifica como petista e, na medida do possível, evita vestir-se de vermelho... Teme ser chamada de petralha...

NÃO, ELA NÃO É PETRALHA

        Já Zé de Abreu é aquele militante que espera que os críticos do PT morram para atacá-los, como fez com o jornalista Sandro Vaia no dia em que seu corpo era velado em Jundiaí... E atacou-o com mentiras, coisa de homem sem caráter...
        Não sei se Iozzi chegaria a tanto, mas suas páginas no Facebook – ela tem quatro ou cinco delas – confirmam que ela usa a mesma metodologia petralha, sem tirar nem por... Primeiro atira, só depois vai ver que bicho matou...
        Num post, com dissimulação, ela atribui a Michel Temer a responsabilidade pela morte de Teori Zavascki, o relator da Lavajato no STF...
        Em muitos outros, ela usa sua força de personagem público, alavancada pela Globo, para convocar pessoas para o protesto contra a Reforma da Previdência e a Terceirização... Ela não expõe o que pensa sobre esses temas, se é que pensa alguma coisa, se é que os estudou, mas convoca a todos para protestar contra... Faz igualzinho aos petralhas, portanto...
        Sua obra-prima, por enquanto, é um vídeo onde ela, com seu rosto lindo e seu discurso eloquente, de traje vermelho, manifesta suas preocupações com a “onda de intolerância” que assola a política; ela mesma, bem ao estilo petralha, não se importa se as suas páginas no Facebook sejam combustível poderoso para a intolerância...

ELA GRAVA VÍDEO EM TRAJES VERMELHOS

        Nesse vídeo, ela mostra que é a intolerância que levou um grupo de manifestantes a vaiar a atriz Letícia Sabatella numa praça de Curitiba e, certamente pra mascarar seus pendores petralhas, fala também de sua indignação ao saber que o senador Aécio Neves foi vaiado e xingado ao passear com a família numa praia...
        Já escrevi sobre o caso Letícia Sabatella e afirmei que jamais vou incentivar que pessoas sejam hostilizadas em praça pública...
        Escrevi em meu blog: “As pessoas que saíram na defesa exaltada da atriz Letícia Sabatella, insultada há poucos dias numa praça de Curitiba onde se realizava manifestação de apoio ao Impeachment de Dilma Rousseff, têm memória curta.
        Já não devem se lembrar mais que insultar as pessoas na rua, em praças públicas, em estúdio ou na porta de emissoras de TV, é um privilégio dos militantes do PT.
        Que o diga a Blogueira cubana, Yoani Sanchez, em visita ao Brasil ainda em 2013. Perseguiram a moça em todos os lugares que visitou – Salvador, Brasília, São Paulo. Presentes na gravação de um programa de TV que a entrevistava, quase não a deixaram falar.
        O PT, na verdade, colhe uma mínima parte do veneno que sempre disseminou. Não acho que seja correto atacar alguém, ainda que verbalmente, por seus posicionamentos políticos, mas o momento tem de ser de forte inflexão”.

SOBRE AÉCIO NEVES

        Já sobre as vaias recebidas pelo senador Aécio Neves, eu escrevo agora: as agressões, nesse caso, do mesmo modo inadmissíveis, vão encontrar explicação na justa intolerância popular à corrupção em escala assustadora nesta fase áurea da política brasileira em que a podridão, doa a quem doer, é retirada das gavetas...
        Eu mesmo, se tivesse avistado Aécio nessa praia, teria dirigido a ele meu olhar de desprezo e revolta, não por supostamente estar envolvido em casos de corrupção, mas por sua omissão já antiga nos inúmeros casos de abusos na exploração mineral neste país... É inadmissível que um senador influente das Minas Gerais nunca tenha se preocupado em aprovar no Congresso Nacional um novo e decente marco regulatório para a mineração brasileira, onde os crimes do porte do desastre de Mariana são a ponta de um iceberg carregado de bandalheira, insalubridade, sonegação fiscal, a começar pelo nióbio...

        Mas a moçoila Monica Iozzi jamais erguerá bandeiras assim... Ela prefere a cômoda superficialidade dos pratos feitos montados pelo PT, pois na defesa deles ela pode posar de “moça de princípios...” 

Mônica Iozzi

Letícia Sabatella

Zé de Abreu

Aécio Neves